Principais critérios para a escolha de e-commerce

Por Monica Nietsche em

Escolher uma plataforma de e-commerce é uma possibilidade rentável como nunca antes. Com o aumento da procura por compras on-line durante o período de pandemia, o crescimento previsto para o setor foi rapidamente amplificado.

Somente na Black Friday 2020, foram gerados R$ 4 bilhões em vendas -, os novos empreendedores precisam de noções e padrões de qualidade que sejam condizentes com sua visão de mercado e no quanto podem investir.

Abrir uma loja virtual hoje é mais acessível do que nos primórdios, nos anos 2000. Seja em uma plataforma gratuita, até em opções feitas sob medida, é bom considerar alguns dos fatores a seguir.

1 – Experiência de uso

Assim como nas lojas físicas, todo e-commerce deve oferecer uma experiência que passe, acima de tudo, segurança e qualidade para os consumidores. Sem isso, nem mesmo a melhor oferta irá mantê-los interessados.

Ao escolher uma plataforma de e-commerce, o primeiro critério é considerar os recursos disponíveis nas etapas inicias, mas principalmente conforme o crescimento da loja virtual.

Não é incomum que a lucratividade diminua devido ao aumento de cobrança das plataformas.

A InterGATE tem integração para o ERP SAP Business One com várias plataformas bem conceituadas no mercado

  • Magento
  • Vtex
  • TrayCorp
  • Woocommerce
  • Flexy
  • Shopify

2 – Funcionalidades básicas da plataforma

Embora cada gestor tenha suas noções de mercado para criação de uma loja virtual, existem alguns requisitos que não podem faltar em nenhuma delas. Mais do que uma exigência do segmento ou dos clientes, tratam-se de parâmetros básicos para qualquer empreendimento on-line. Estes são:

Além deles, existem opções únicas para cada segmento. Por exemplo, em segmentos de varejo existem facilitadores para aquisições de compras conjuntas, ou mesmo criação de kits personalizados, como a recentemente oferecida pela Vtex em parceria com a SinalizeWeb.

3 – Tempo de criação

Embora seja considerada um clichê, “tempo é dinheiro” é uma frase que cabe perfeitamente na escolha de uma plataforma de e-commerce. Além das funcionalidades e da apresentação visual, o tempo no qual ela é montada, testada e inaugurada é crucial.

Por outro lado, esse critério mesmo não pode ser definido apenas pela velocidade, mas também pela qualidade. Cabe ao empreendedor buscar os referenciais necessários para definir com qual plataforma trabalhar.

No ecommerce, opções de pós-venda e acompanhamento do histórico de compras também são outros diferenciais importantes.

4 – Considerar a experiência do usuário

Embora a criação de uma loja virtual seja pautada pelas visões de mercado de seus idealizadores, ela também deve preceder de uma análise sensível do público.

Em outras palavras, a escolha do modelo de loja deve vir de necessidades fundamentais dos clientes, e como pretende atendê-los.

Por exemplo: uma das etapas mais importantes no processo de compra on-line é o checkout. Tanto as opções disponíveis de pagamentos, como a facilidade de finalizar a compra, devem ser intuitivas, especialmente com o aumento das compras via mobile e por redes sociais. 

Opções de pós-venda e acompanhamento do histórico de compras também são outros diferenciais importantes.

5 – Facilidade para divulgar e engajar

Para que a loja virtual tenha alcance, é fundamental que ela permita o engajamento dos usuários, interna e externamente. Logo, um critério para a escolha da plataforma de e-commerce são os recursos e integrações que garantam a presença do usuário dentro da loja.

Além de canais de ouvidoria e compartilhamento para as redes sociais, um dos recursos mais eficientes de engajamento e divulgação de uma loja virtual está nos sistemas de avaliações.

Ao dar ao usuário o poder de decisão, eles podem alavancar o e-commerce, se todos os demais aspectos foram igualmente eficientes.

Uma loja virtual que não tenha uma experiência completa em todos os meios de acesso tende a ser menos acessada.

6 – Responsividade e Integração

O conceito de Omnichannel, antes considerado um diferencial no mercado digital, hoje é obrigatório. Uma loja virtual que não tenha uma experiência completa em todos os meios de acesso tende a ser menos acessada.

Uma vez que a integração entre os diversos meios – mobile, redes sociais, marketplaces, e outros -, possa ser complexa para novos empreendedores, é interessante que a plataforma de e-commerce escolhida permita a expansão e inclusão desses canais.

Atualmente, muitas das principais redes sociais oferecem opções de marketplace, o que significa um próximo passo na presença on-line de qualquer vendedor, mesmo quem não possui uma loja virtual.

De acordo com Uafa Smaili, especialista em e-commerce, “a integração com as ferramentas de vendas pelas redes sociais, ou mesmo o Google Shopping, significa um aumento na credibilidade para o consumidor, que pode finalizar a compra para o consumidor final”.

A escolha de plataformas responsivas, é importante especialmente nos estágios iniciais de produção.

É fundamental ter esses critérios bem estabelecidos. Dessa maneira, o investimento em uma plataforma e-commerce será assertivo, garantindo um custo-benefício maior a curto e médio prazo.

FONTE: Blog Metropoles


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *