O que é Transformação Digital e como pode ajudar sua empresa

Por Monica Nietsche em

O que é Transformação Digital e como pode ajudar sua empresa a reestruturar os processos , absorvendo uma cultura digital com o objetivo de ganhar produtividade. Para realizá-la, é necessário fazer mudanças estruturais na empresa, colocando a tecnologia como elemento central.

Talvez você esteja pensando: “já tenho um site, uma página no Facebook e faço o armazenamento de arquivos na nuvem. Isso quer dizer que minha empresa já passou pela Transformação Digital?”

Não é bem assim. A Transformação Digital requer uma mudança mais radical, que pode demorar e incluir investimentos um pouco mais altos. Isso não quer dizer, no entanto, que só grandes empresas com orçamentos milionários podem implementá-la.

Além disso, também é um investimento de tempo, pois não se trata só de uma questão de tecnologia, mas também de gestão.

Como esse é um assunto relativamente novo, pode causar muitas confusões. Por isso, é interessante lembrar que a Transformação Digital não é só para empresas de tecnologia. Pelo contrário, ela pode agregar muito a outros segmentos!

Também é importante que a Transformação Digital parta do topo da empresa, e não do setor de TI, por exemplo. Isso porque exige investimento financeiro e planejamentos que abrangem toda a empresa.

Por que investir em Transformação Digital?

Você sabia que 90% dos dados disponíveis no mundo foram criados nos últimos 2 anos? E que já existem pelo menos 14 bilhões de dispositivos móveis em uso no planeta? Esses números mostram o quanto a tecnologia está presente no cotidiano da maioria das pessoas atualmente.

A Transformação Digital ampliou a oferta de produtos e serviços, e transferiu lojas físicas para ecommerces. Além disso, abriu precedentes para que empresas já tenham nascido digitais. Serviços de compartilhamento como Uber, AirBnb e Spotify são exemplos que já fazem parte do cotidiano da maioria das pessoas.

Vale ressaltar também que cada um de nós está continuamente produzindo dados. A partir de informações do Internet Live Stats, o Google processa em média mais de 80.000 consultas de pesquisa a cada segundo no mundo, o que representa mais de 5 bilhões de pesquisas diárias e 1,8 trilhão de pesquisas anuais.

Aí chegamos em um dos grandes desafios: o que fazer com esse volume gigantesco de informação? E a questão não está na administração ou monitoramento, mas sim em como extrair inteligência dos dados.

Tudo isso tem provocado mudanças nas empresas, de modo que investir na digitalização dos seus processos não é mais um diferencial: é uma forma de fazer sua empresa sobreviver.

Conheça agora os principais motivos para investir em Transformação Digital:

Para melhorar a experiência do cliente

É interessante destacar que a Transformação Digital ajuda a focar na experiência do cliente, já que hoje este é um grande diferencial para empresas.

Na prática, a Transformação Digital permite segmentar melhor o público, abordando-o de forma personalizada e mais satisfatória para fidelizar essas pessoas, fazendo ofertas bem direcionadas.

Também é importante para saber o que as pessoas estão falando da sua empresa por meio do monitoramento nas diversas redes online, conseguindo feedbacks para fazer melhorias.

Para ter processos operacionais mais eficientes

A Transformação Digital permite melhorar os processos internos, tornando-os mais simples e eficientes. Isso motiva a equipe, que deixa de gastar energia com atividades desnecessárias e ganha mais produtividade.

Uma forma da sua empresa fazer parte da Transformação Digital é mudando processos offline para processos digitais.

Por exemplo: em vez de marcar reuniões constantes, é possível capacitar os funcionários para  que utilizem ferramentas de gestão de processos, que tornam tudo mais rápido e eficiente.

No cenário digital em que vivemos, fazer essa ponte entre uma estratégia offline com iniciativas online é essencial para empresas que precisam se manter à frente da concorrência.

Na InterGATE, nós usamos várias ferramentas e plataformas de CRM e marketing Digital para melhorar nossa produtividade

Como adotar a Transformação Digital na sua empresa?

Foque no planejamento estratégico

Nem só de softwares vive a Transformação Digital. Se não houver um bom plano estratégico por trás do investimento em treinamentos e programas, ele pode ser em vão.

É interessante que essa transformação tenha objetivos que vão além de “atualizar-se”. Ela deve ser um meio para um objetivo mais específico, seja melhorar a produtividade, fazer integrações, entregar mais sucesso aos clientes, dentre muitos outros.

Na InterGATE, nós usamos várias ferramentas e plataformas de CRM e marketing Digital para melhorar nossa produtividade. Como nosso produto o ConectorGATE é uma api de integração, assim como nossos RPAs (robos), nossas customizações e todos os nossos serviços envolvem a Transformação Digital de nossos clientes.

nosso produto o ConectorGATE é uma api de integração, assim como nossos RPAs (robos),  nossas customizações e todos os nossos serviços  envolvem a Transformação Digital

Não esqueça da infraestrutura

A Transformação Digital exige infraestrutura para ser realizada. É preciso investir em softwares, equipamentos, armazenamento na nuvem e outros.

Para quem não tem experiência com tecnologia, procurar uma consultoria pode ser uma boa saída. Esse tipo de profissional pode ajudar com uma análise de como melhorar o desempenho da empresa, apontando os melhores caminhos para a Transformação Digital.

Transformar os processos offline em digitais ajuda a ter uma comunicação mais rápida, a integrar os diferentes setores da empresa.

Comece com as lideranças e com a mudança de mindset da gestão

Para que a sua empresa realmente esteja inserida nesse contexto, a mudança deve ser de dentro para fora. Não é por que o mercado está dizendo que é importante, que apenas alguns conceitos simplistas devem ser aplicados (como estar nas redes sociais, ter um blog, passar a investir em Automação de Marketing, etc.). Antes de mais nada, toda a equipe de gestão deve entender o momento e se capacitar.

Com a consciência da mudança e conhecimento a respeito, é possível identificar em que pontos é possível evoluir. Primeiro, todos os processos internos de produção mudam para que, só depois, a relação entre o cliente e a empresa se torne digitalizada.

Não maqueie ao dar os primeiros passos

Enquanto muitos gestores – já experientes – sentem certo medo do digital justamente porque eles não o entendem, outros não reconhecem sua real importância e valor e, por consequência, não investem tempo e dinheiro necessários.

Nesse quesito, seria tentar se maquiar digitalmente, sem entender o real propósito disto e o quanto toda e qualquer mudança deveria partir de dentro para fora.

Ser digital, portanto, não é ter um site atraente, não é mudar a identidade visual da sua companhia, contratar as melhores ferramentas e muito menos estar nas redes sociais – ou patrocinando aquele blogger badalado.

É ter claro quais são os objetivos da organização como um todo, clareza sobre os entraves burocráticos que a impede de crescer e até onde a empresa está disposta a mudar o modo de agir.

nosso produto o ConectorGATE é uma api de integração, assim como nossos RPAs (robos),  nossas customizações e todos os nossos serviços  envolvem a Transformação Digital

Como redesenhar os processos digitais da sua empresa?

Um relatório recente da Harvard Business School confirmou: “a digitalização está gerando mudanças a taxas sem precedentes”.

O uso integrado de análise de dados, nuvembig data, dispositivos móveis e aplicativos é parte desse processo e contribui para mudanças aceleradas na dinâmica organizacional, conforme é apontado no artigo da Forbes “How Digital Disrupts Operations, Business Processes And Customer Experience”.

E mais: o relatório revelou essa tendência de Transformação Digital não só nos processos internos de empresas, mas também nas finanças, destacando ainda que líderes não podem se dar o luxo de ignorá-la. Afinal, no cenário atual, isso pode custar a sobrevivência do seu negócio.

Diante disso, o redesenho de processos digitais é um passo essencial e deve incluir os três pilares de uma organização. São eles:

  • Experiência dos clientes
  • Modelos de operação
  • Modelos de negócio

Veja agora como redesenhar os processos digitais da sua empresa, conhecendo as melhores alternativas em cada um desses níveis e os benefícios que eles trazem para o resultado final.

1. Experiência dos clientes

O primeiro passo para modificar a experiência do cliente com base na digitalização é bem básico. Trata-se, portanto, de compreender o cliente.

Para compreender realmente seu público é preciso focar em estratégias de coleta de informação, transformando dados aleatórios em inteligência de mercado.

Muitas empresas utilizam as redes sociais para isso, tendo como resultado uma pesquisa regionalizada, segmentada e completa, capaz de revelar o que faz o cliente feliz e, da mesma forma, o que o deixa insatisfeito.

A partir dessa ideia, é possível criar inúmeras ações para otimizar essa compreensão, iniciando até a promoção da marca e fortalecendo os laços com um público cada vez mais fiel. Um exemplo desse tipo de ação é a criação de comunidades em redes sociais.

Após ter intimidade com o seu cliente, conhecendo suas dores e expectativas, é preciso atuar na forma pela qual se dá o processo de venda. Aspectos como abordagem ao cliente, ferramentas de comunicação e apresentação do produto ou serviço estão incluídos nesse passo.

Todos esses recursos podem promover mudanças positivas na experiência direta do cliente com a empresa:

  • Apresentações em tablets;
  • Email Marketing;
  • Chatbots;
  • Dispositivos móveis;
  • Aplicativos;
  • Gamificação.

O principal objetivo da digitalização na experiência do cliente é facilitar a comunicação e tornar o processo de venda mais agradável. Isso requer muitas vezesmudanças na atuação de profissionais de áreas específicas, como no caso de vendedores e representantes comerciais que precisam se transformar urgentemente.

2. Modelos de operações

Os processos internos também têm grande influência no desempenho da empresa. Não é à toa que eles representam o segundo pilar da Transformação Digital nesse contexto.

digitalização de processos é o começo de uma mudança interna, diminuindo a necessidade da força de trabalho em funções burocráticas e pouco elaboradas e reorientando-a para papéis mais estratégicos, que envolvam mais responsabilidade e, ao mesmo tempo, mais impacto nos negócios.

Na prática, isso significa por exemplo integrar seu ERP com um sistema especialista de e-commerce. Assim tendo todas as informações em um só sistema, em tempo real e sem precisar gerenciar dois sistemas.

A soma de automatização, integração de sistemas e a adequação da equipe ao ambiente digital e gerenciamento de desempenho configura uma equação de sucesso no modelo de operações internas.

3. Modelos de negócio

O terceiro e último — mas não menos importante — pilar é o modelo de negócio. Mas redesenhar o modelo de negócio não significa necessariamente substituí-lo.

Na maioria das vezes, trata-se de criar um formato digital desse mesmo negócio, ampliando as possibilidades de atuação para uma plataforma online e, consequentemente, ganhando mais público.

Outra possibilidade é introduzir produtos digitais que complementam os originais. Essa iniciativa representa que a marca está acompanhando a evolução do seu ramo e, com isso, oferece aos seus clientes produtos complementares que otimizam a sua compra.

É o caso de uma marca roupas esportivas vender GPS’s e dispositivos digitais que auxiliem a prática de atividades físicas.

Estender a atuação para o território virtual e oferecer opções de produtos digitais são duas maneiras de transformar o modelo de negócio, tornando-o compatível com os formatos de organização contemporâneos.

Podemos destacar que o redesenho de processos digitais na sua empresa envolve, às vezes, a substituição de práticas e, em alguns momentos, apenas a inclusão de ações e ferramentas que antes não existiam.

Dificuldades e desafios

A Transformação Digital não é um processo sempre fácil, e algumas dificuldades e desafios podem surgir. Um deles é a falta de iniciativa. Muitas empresas vão levando a coisa como está e deixando a transformação para depois enquanto ela já está acontecendo.

Da mesma forma, dificuldades técnicas, como a falta de pessoas para lidarem com a tecnologia necessária. Para resolvê-las, é importante buscar pessoas qualificadas que forneçam treinamentos para quem já trabalha no negócio.

Muitas empresas também tomam decisões com base no retorno das iniciativas e em uma transformação desse tipo pode ser difícil calcular o ROI. Mas esse não deve ser um empecilho. Também é necessário se esforçar para mudar aspectos culturais da empresa.

Metodologias para acelerar o processo de Transformação Digital

Em meio a todas essas ações que apoiam o desenvolvimento de uma nova cultura de Transformação Digital, é importante conhecer metodologias já consolidadas no mercado que podem ser a base principal para colocar tudo em prática.

As 3 principais são:

1. Growth Hacking como cultura orientada a números

Growth Hacking é a metodologia para experimentos contínuos e que visa identificar oportunidades de melhorias com notório potencial de ganhos (de acordo com os objetivos da empresa), além de favorecer estratégias específicas com foco em resultados rápidos para o crescimento da empresa.

2. Metodologia Lean Startup como preceito para a construção de uma cultura menos engessada

Conciliando ideias de marketing, tecnologia e gestão, nasce o termo “Lean Startup“, criado pelo americano Eric Ries. A agilidade também é mandatória aqui, onde se favorece uma constante interação com os usuários para validar diferentes hipóteses do quanto um produto ou serviço tem aderência no mercado.

3.Scrum como metodologia de gestão do seu projeto de Transformação Digital

Trata-se de uma metodologia ágil para gestão e planejamento de projetos. Os projetos são divididos em ciclos chamados Sprints, nos quais um conjunto de atividades deve ser realizado. Para entender melhor sobre como o conceito se aplica a diferentes tipos de empresa, leia o artigo da OpenView,  “Why agile isn’t just for technical teams”.

FONTE: RD Station


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *